Blogonet » Blogs » Nothingandall

RSS Nothingandall - Fiche du blog

Signaler


Derniers articles publiés sur le blog

Ausência - Carlos Drummond de Andrade

Ajouté il y a 17 heures, via Nothingandall, dans Culture

Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim. E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres, porque a ausência, essa...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

PoemÍnimis - a. estebanez

Ajouté il y a 2 jours, via Nothingandall, dans Culture

espinhos de flores carinhos de dores espinhos de dores carinhos de flores malditos benditos carinhos benditos malditos espinhos Afonso Estebanez Stael nasceu em 30 de outubro de 1943, em Cantagalo, Rio de Janeiro

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Nothingandall atinge 10 000 "posts

Ajouté le 29-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Este "post" não tem mensagem! Apenas assinala e assume a particularidade de ser o número 10.000! Uma insignificância...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Acreditei... - Ana Cristina Cesar

Ajouté le 29-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Acreditei que se amasse de novo esqueceria outros pelo menos três ou quatro rostos que amei Num delírio de arquivística organizei a memória em alfabetos como quem conta carneiros e amansa no entanto flanco aberto não esqueço e amo em ti os outros rostos in “Inéditos e Dispersos” Ana...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Grito de Alma - Ruy de Noronha

Ajouté le 28-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Vem de séculos, alma, essa orgulhosa casta, Repudiando a dor, tripudiando a lei. Num gesto de altivez que em onda leva arrasta Inteiras gerações de amaldiçoada grei. Ir procurar, amor, nessa altivez madrasta, Um gesto de carinho ou de brandura, eu sei? Ao tigre dos juncais, duma crueza vasta,...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Canção Grata - Carlos Queiroz

Ajouté le 27-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Por tudo o que me deste: – Inquietação, cuidado, (Um pouco de ternura? É certo, mas tão pouco!) Noites de insónia, pelas ruas, como um louco... – Obrigado! Obrigado! Por aquela tão doce e tão breve ilusão. (Embora nunca mais, depois que a vi desfeita, Eu volte a ser quem fui), sem...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Voz Íntima - Amadeu Amaral

Ajouté le 24-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Dreams, Serigraph on canvas, 20" x 24 1/2", from www.yurozart.com Fecha-te, sofredor, na alva túnica ondeante Dos sonhos! E caminha, e prossegue, embebido, Muito embora, na dor de um fiei celebrante De um estranho ritual desdenhado e esquecido! Deixa ressoar em torno o bárbaro alarido,...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

RECADO - Nuno Pereira (no 90º aniversário do poeta caboverdeano)

Ajouté le 23-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Quando aportares Dá-lhes notícias de mim nesta cidade. Diz-lhes da voz surda estremecendo E leve e tonta no meu peito Como se nada fora ao vento que se escapa A este céu onde viceja um cravo A flor do meu destino. Diz-lhes que me vou às vezes da noite roxa Pelos subúrbios de tons bem calmos Na...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Fotógrafo Ambulante - Oswald de Andrade (na passagem dos 60 anos sobre o seu desaparecimento)

Ajouté le 22-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Fixador de corações Debaixo de blusas Álbum de dedicatórias Marquereau Tua objetiva pisca-pisca Namora Os sorrisos contidos És a glória Oferenda de poesias às dúzias Tripeça dos logradouros públicos Bicho debaixo da árvore Canhão silencioso do sol José Oswald de Sousa Andrade Nogueira...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Ao poeta perguntei - Alberto Janes (fado na voz de Ana Moura)

Ajouté le 21-10-2014, via Nothingandall, dans Culture

Ao Poeta Perguntei by Ana Moura on Grooveshark Ao poeta perguntei Como é que os versos assim aparecem Disse-me só: Eu cá não sei São coisas que me acontecem Sei que nos versos que fiz Vivem motivos dos mais diversos E também sei que sempre feliz Não saberia fazer os versos Ó meu amigo, não...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Commentaires

Ils aiment ce blog