Blogonet » Blogs » Nothingandall

RSS Nothingandall - Fiche du blog

Signaler


Derniers articles publiés sur le blog

The Portrait - Stanley Kunitz

Ajouté il y a 19 heures, via Nothingandall, dans Culture

My mother never forgave my father for killing himself, especially at such an awkward time and in a public park, that spring when I was waiting to be born. She locked his name in her deepest cabinet and would not let him out, though I could hear him thumping. When I came down from the attic with the...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Soneto imperfeito da caminhada perfeita - sidónio muralha

Ajouté il y a 2 jours, via Nothingandall, dans Culture

Já não há mordaças, nem ameaças, nem algemas que possam perturbar a nossa caminhada, em que os poetas são os próprios versos dos poemas e onde cada poema é uma bandeira desfraldada. Ninguém fala em parar ou regressar. Ninguém teme as mordaças ou algemas. - O braço que bater há-de...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Epitáfio - Rui Augusto

Ajouté le 26-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Se eu abandonar a morada do meu coração e morto permanecer aquém das montanhas... Nas sombras do eclipse que descer cerrado sobre mim enterrem-me oh! por favor enterrem-me bem fundo. E como epitáfio à luz de dias conquistadores sobre a minha memória rasguem a ferida da piedade para que...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Insónia - Fernando Semana

Ajouté le 25-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Ó meretriz dos ventos Em teus sábios movimentos de elipse, arranca-me os pensamentos Traz-me um eclipse da memória E liberta-me da insónia

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Soneto IX [Nessa tua janela, solitário] - Guilherme de Almeida

Ajouté le 24-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Nessa tua janela, solitário, entre as grades douradas da gaiola, teu amigo de exílio, teu canário canta, eu sei que esse canto te consola. E, lá na rua, o povo tumultuário, ouvindo o canto que daqui se evola, crê que é o nosso romance extraordinário que naquela canção se desenrola. Mas,...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Musical suggestion of the day: A eterna Amália Rodrigues - Naufrágio

Ajouté le 23-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Amália Rodrigues nasceu em Lisboa a 23 Jul 1920*, m. a 6 Out 1999 em Lisboa *Data que consta dos registos oficiais. Amália sempre defendeu que nascera em 1 de Julho de 1920.

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

AÇÃo gigantesca - mário gomes

Ajouté le 23-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Beijei a boca da noite E engoli milhões de estrelas. Fiquei iluminado. Bebi toda a água do oceano. Devorei as florestas. A Humanidade ajoelhou-se aos meus pés, Pensando que era a hora do Juízo Final. Apertei, com as mãos, a terra, Derretendo-a. As aves em sua totalidade, Voaram para o Além....

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

CemitÉrio (poema infantil) - josé paulo paes

Ajouté le 22-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

1 Aqui jaz um leão chamado Augusto. Deu um urro tão forte, mas um urro tão forte, que morreu de susto. 2 Aqui jaz uma pulga chamada Cida Desgostosa da vida, tomou inseticida: era uma pulga suiCida. 3 Aqui jaz um morcego que morreu de amor por outro morcego. Desse amor arrenego: amor cego, o de...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Aniversário - Luiz Edmundo Alves

Ajouté le 21-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

cada momento vivido é um pedacinho que se perde. como sentir o tempo? cada momento vivido é um pedacinho que se ganha. como fixar o tempo? as articulações rígidas do tempo rugas na face as reinvenções diminutas do tempo infância na memória Luiz Edmundo Alves nasceu em Vitória da...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Flores do Verão - Gastão Cruz

Ajouté le 20-07-2014, via Nothingandall, dans Culture

Estás no meio das árvores dos pássaros das sombras no regresso da praia as flores do verão também estampadas na solidão da saia outras crescendo naturais sendo umas o futuro e as da natureza o momento presente a estampa que te envolve saindo dos arbustos movidos pla leveza imperceptível...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Commentaires

Ils aiment ce blog