Blogonet » Blogs » Nothingandall

RSS Nothingandall - Fiche du blog

Signaler


Derniers articles publiés sur le blog

Última Canção - Eugénio de Andrade

Ajouté il y a 23 heures, via Nothingandall, dans Culture

Se puderes ainda ouve-me, rio de cristal, ave matutina. ouve-me, luminoso fio tecido pela neve, esquivo e sempre adiado aceno do paraíso. Ouve-me, se puderes ainda, Devastador desejo, fulvo animal de alegria. Se não és alucinação ou miragem ou quimera, ouve-me ainda: vem agora e não na hora...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Testamento de D. Burro, Pai dos Asnos - Padre Camões

Ajouté il y a 23 heures, via Nothingandall, dans Culture

(...) Na pobre estrebaria em que me vejo, cheio de pulgas, piolhos, percevejos, eu D. Burro, pai dos asnos calcitrantes, que o mundo vai deixar dentro de instantes, vendo-me já tanto de anos carregado, no mais triste e lastimoso estado, sem abrigo de pai nem de parentes, da cabeça já calvo, e...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Adeus - Miguel Torga

Ajouté le 17-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

É um adeus… Não vale a pena sofismar a hora! É tarde nos meus olhos e nos teus… Agora, O remédio é partir discretamente, Sem palavras, Sem lágrimas, Sem gestos. De que servem lamentos e protestos Contra o destino? Cego assassino A que nenhum poder Limita a crueldade, Só o pode vencer a...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Silêncio - Ulisses Duarte

Ajouté le 16-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Nesta memória onde o silêncio fala a viajar no meu sofá sem rumo, percorro o mundo, sem sair da sala, com palavras de fumo. É o silêncio do musgo preso ao muro de retardar a infância... Por isso, ainda hoje me procuro e perco na distância! Há silêncios que voam como eu num espanto de luz e...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Amor - Salvador Novo (no 40º aniversário do desaparecimento)

Ajouté le 13-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Amar es este tímido silencio cerca de ti, sin que lo sepas, y recordar tu voz cuando te marchas y sentir el calor de tu saludo. Amar es aguardarte como si fueras parte del ocaso, ni antes ni después, para que estemos solos entre los juegos y los cuentos sobre la tierra seca. Amar es percibir,...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Soneto - Rubem Braga

Ajouté le 13-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Amendoeira em flor imagem daqui E quando nós saímos era a Lua, Era o vento caído e o mar sereno Azul e cinza-azul anoitecendo A tarde ruiva das amendoeiras. E respiramos, livres das ardências Do sol, que nos levara à sombra cauta Tangidos pelo canto das cigarras Dentro e fora de nós...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Pastoral - António Sardinha

Ajouté le 11-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Foto: Patos daqui Todos os dias quando morre o dia, Pões-te a chamar os patos para os contar; E os patos, conhecendo quem os cria, Vêm para ti de longe a esvoaçar e logo te acompanham. Que alegria anima o teu rebanho singular! Parece ser dum conto que eu ouvia, -«Era uma vez...» - , à gente...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Vigílias (I) - Al Berto

Ajouté le 11-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Janela para o mar imagem daqui quando aqui não estás o que nos rodeou põe-se a morrer a janela que abre para o mar continua fechada só nos sonhos me ergo abro-a deixo a frescura e a força da manhã escorrerem pelos dedos prisioneiros da tristeza acordo para a cegante claridade das ondas um...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Paisagem Pelo Telefone - João Cabral de Melo Neto

Ajouté le 09-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Sempre que no telefone me falavas, eu diria que falavas de uma sala toda de luz invadida, sala que pelas janelas, duzentas, se oferecia a alguma manhã de praia, mais manhã porque marinha, a alguma manhã de praia no prumo do meio-dia, meio-dia mineral de uma praia nordestina, Nordeste de...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Soneto xxxi - reis quita

Ajouté le 06-01-2017, via Nothingandall, dans Culture

Quando em meu desvelado pensamento O teu formoso gesto se afigura, Não sei que afecto sinto, ou que ternura, Que a toda esta alma dá contentamento. Ali fico num largo esquecimento, Contemplando na minha conjectura De teu sereno rosto a graça pura, De teus olhos o doce movimento. Porém logo a...

Ajouter un commentaire | Lier avec un autre article | Fiche de l'article

Commentaires

Ils aiment ce blog